segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

Vereador e grupo de moradores preparam série de protestos contra aumento da passagem de ônibus em Garanhuns

A novela acerca do aumento da passagem de ônibus em Garanhuns está longe de chegar ao fim. Quase que a totalidade dos usuários do serviço no município não concordam com o reajuste da tarifa, que passou de R$ 2,60 para R$ 2,90 neste início de ano. Motivada por uma ação civil pública protocolada pela 2ª Promotoria de Justiça de Defesa da Cidadania, a Vara da Fazenda Pública da Comarca de Garanhuns chegou a conceder uma liminar suspendendo o aumento, mas o TJPE derrubou.

Durou os primeiros 18 dias de janeiro o período em que a liminar do juiz Glacidelson Antônio segurou o preço da passagem em 2,60. Agora, com o valor de R$ 2,90 estabelecido com o aval da mesma Justiça que outrora suspendera, os moradores de Garanhuns prometem se mobilizar contra o reajuste. "Estamos nos preparando para um manifesto contra o aumento da passagem. Estamos reunindo pessoas para se colocar contra isso. Batizamos esse protesto de Um Dia sem a São Cristóvão e já contamos com muita gente engajada nessa causa", disse um dos líderes do movimento, que conta também com a participação do vereador Gil PM. Em um áudio de WhatsApp Gil declarou apoio ao protesto. Ele se dispôs a fornecer um carro de som e também faixas para serem usadas na manifestação. "Esse aumento é absurdo. Não baixarei a cabeça diante disso. Essa empresa faz o que faz com a gente e ninguém resolve nada. Não paga o tributo das empresas aqui na cidade, demitiu os cobradores, entre outras coisas", frisou o parlamentar.

Ainda de acordo com os organizadores do movimento Um Dia Sem a São Cristóvão, essa semana será de reuniões para definir estratégias e tentar sensibilizar a empresa para que reduza por conta própria o preço da passagem. A ideia é se reunir com o gerente da São Cristóvão Domingos Sá e levar a ele a insatisfação dos passageiros. "Se a resposta deles não for a que a gente quer, levaremos o caso à Justiça e iniciaremos uma série de protestos que vão de mobilizações nas ruas até a instalação de piquetes na porta da garagem da empresa, impedindo a circulação plena dos veículos. Também conclamaremos o povo a passar um dia sem utilizar os ônibus urbanos do município como forma de pressão", disse Carlos Batista, um dos líderes da demanda, que ainda fez questão de frisar que as mobilizações serão pacíficas e ordeiras.

A organização do movimento UM DIA SEM A SÃO CRISTÓVÃO ainda informa que os simpatizantes da causa deverão se informar sobre o andamento das atividades entrando nos seguintes grupos de WhatsApp.

Nenhum comentário:

Postar um comentário