sábado, 11 de janeiro de 2020

Jhony Albino vai voltar a disputar uma vaga na Câmara de Vereadores de Garanhuns

Após ter sua candidatura para vereador indeferida nas últimas eleições municipais , em Garanhuns, Jhony Albino (PSB), pode ser a aposta de muitos garanhuenses para a eleição de 2020.



Eleito em 02 de outubro de 2016, o candidato não teve os votos computados e não pode assumir a função de vereador. Irmão do deputado estadual e pré-candidato a prefeito de Garanhuns, Sivaldo Albino (PSB), essa dupla promete uma grande campanha.



Relembre o caso:



Johny Albino teve o registro de candidatura indeferido pelo Juiz da 56ª Zona Eleitoral, Francisco Milton Araújo Júnior, por, no entendimento da Justiça Eleitoral, não ter se afastado de fato do cargo de Assessor Técnico do CASE – CENIP Garanhuns (CAS-2), da Fundação de Atendimento Socioeducativo – FUNASE, no prazo legal previsto na Legislação Eleitoral.



O Candidato a Vereador recorreu da decisão junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), porém o Órgão manteve, por unanimidade de votos e em duas oportunidades, a decisão do Juiz Francisco Milton.   



Na época, houve a acusação de que o então candidato teria recebido o salário referente ao mês de julho, o que ficou comprovado que não aconteceu. Além disso, a denúncia que levou a impugnação da candidatura de Jhony Albino ocorreu por meio de dois ofícios encaminhados, supostamente pela FUNASE à Vara da Infância e Juventude.



Porém, três anos após o pleito, foi aberto um inquérito pelo Ministério Público de Pernambuco para investigar a origem dos ofícios, o que não foi constatado. Na ocasião, a Funase alegou que os ofícios não tinham saído de lá, e a Vara da Infancia e Juventude também informou que as cópias dos ofícios também não foram solicitadas lá. Com isso, não ficou comprovada origem dos ofícios. Portanto, era uma prova ilícita no processo e que deveria ter sido retirada da ação. Se tivessem descoberto esse fato na época, o candidato teria sua candidatura deferida e, consequentemente, assumido a função legislativa.

(Do Blog do Mario Flávio)

Nenhum comentário:

Postar um comentário