segunda-feira, 18 de maio de 2020

Justiça proíbe protesto que pediria abertura do comércio em Garanhuns

Uma decisão do juiz de Direito Plantonista Lucas Cristóvam Pacheco, assinada neste domingo, 17 de maio, proibiu que uma manifestação marcada para essa segunda, 18 de maio, fosse realizada em frente a Prefeitura de Garanhuns. O ato pediria a abertura do comércio de Garanhuns e a expectativa era que fosse contar com cerca de 200 participantes. O pedido foi feito pelo Governo Municipal de Garanhuns, através da sua Procuradoria, que embasou o pedido de tutela antecipada em uma matéria publicada pelo portal V&C na última sexta que trouxe uma entrevista do comerciante Thiago Paes (foto acima), um dos apoiadores da manifestação. 

Em sua exposição de motivos, o Governo Municipal alegou que a manifestação marcada para amanhã poderia danos a saúde pública diante da crise mundial causada pela pandemia do novo coronavírus e iria de encontro ao que determina os decretos municipal e estadual que impuseram medidas restritivas quanto a aglomeração de pessoas em Pernambuco e Garanhuns.

Antes de tomar conhecimento da decisão o portal conversou com Thiago Paes. Ele informou que, o MPPE, e outros órgãos do município, ao tomar conhecimento do agendamento da manifestação, entrou em contato com os organizadores e solicitaram que o ato não fosse feito, que um diálogo com os empresários e comerciantes iria ser iniciado para ouvir a demanda da categoria. A informação passada por Thiago foi confirmada pelo Promotor Domingos Sávio. Em conversa com o portal na noite deste domingo. Ele confirmou que se reuniu através de vídeo conferência com quatro dos manifestantes e que estes concordaram em cancelar a manifestação. O promotor ainda frisou que três dos representantes dos comerciantes serão recebidos pelo procurador municipal nesta segunda. Já na quarta, 20 de maio, haverá uma grande reunião por vídeo conferência com a participação dos comerciantes, do MPPE e da Procuradoria Municipal.    

Com relação a decisão judicial, o Portal não conseguiu apurar se esta saiu antes ou depois do acordo feito entre os manifestantes e o Ministério Público, já que na conversa com V&C nesta tarde o comerciante Thiago Paes não mencionou a concessão da tutela antecipada como motivação para o cancelamento do ato do grupo que apoia a abertura do comércio de Garanhuns.

(Do V&C Garanhuns)

Nenhum comentário:

Postar um comentário