quinta-feira, 12 de novembro de 2020

Enfermeiro é investigado por prática de estupro, em Garanhuns

O Agreste Violento noticiou com exclusividade que a  Polícia Civil de Garanhuns investiga uma denúncia feita contra um enfermeiro da cidade. Um homem de 29 anos procurou a delegacia de polícia e registrou um Boletim de Ocorrência (BO) relatando como o crime teria acontecido.

Na denúncia, a vítima contou que no último dia 31/10 estava em seu local de trabalho, quando o enfermeiro o chegou solicitando seus serviços. Durante uma conversa informal, à vítima teria dito que estava indisposta para o trabalho, o profissional de saúde se dispôs a ajudar pedido que ele fosse até seu local de trabalho para medicá-lo. 

O homem contou ainda que confiante no trabalho do profissional de saúde, foi até o local indicado, no entanto, ao chegar lá, logo desconfiou do tratamento, pois achou estranho o material que estava sendo preparado para seu atendimento, assim colocou o aparelho de celular para gravar sem que o enfermeiro percebe-se. 

Após tomar uma injeção sentiu sonolência e dormiu. Ao acordar, cerca de uma hora depois, ainda desorientado, procurou uma clínica e fez um exame médico, sendo assim constatado que ele havia sido dopado por forte medicação.

Horas depois, o denunciante diz ter lembrado que havia acionado o aparelho de celular para fazer uma gravação, então ao analisar o áudio, constatou que havia sido molestado sexualmente pelo enfermeiro no momento que se encontrava sob influência de medicação. A vítima procurou a Polícia Civil e entregou o material que seria probatório para que o caso possa ser investigado e o molestador punido. 

O Portal Agreste Violento, obteve informações que a denúncia foi realizada na 2ª Delegacia de Polícia Civil, mas neste momento o delegado que preside o inquérito não vai se pronunciar, sendo o caso registrado como Estupro de Vulnerável. 

A delegacia pede que caso haja mais vítimas desse enfermeiro, que estas procurem a Polícia Civil para formular uma queixa crime. Que também outros casos já denunciados estão sendo investigados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário